Curtindo a praia de Roma

Sim, isso é possível! Não nos enganamos de Cidade, realmente conseguimos descobrir uma praia em Roma para aplacar o calor Italiano que era escaldante. Como bons cariocas, não poderíamos deixar de fazer algumas observações e comparações com as praias do Rio de Janeiro. Conhecemos a praia de Ostia afastada apenas uma hora de Roma.

Começando pelo fato que no Brasil as praias são púiblicas e na Itália você paga para frequentá-las. Na verdade muitos restaurantes e clubes são “donos” de um pedacinho da praia e quando você frequenta um desses estabelecimentos, tem “direito” de usufruir do pedaço da praoa que lhe cabe, muito bem servido com espreguiçadeiras, guarda sol, bebidas servidas diretamente na areia e todo conforto e regalia possíveis. Além disso, bem isolados por cercas ou muros.

Por uma “pequena taxa” de mais ou menos 40 euros você pode frequentar uma dessas praias sem ser incomodado com um garçom a sua disposição e muitos neo-ricos ao seu redor. Ou se você não estiver nessa “disposição financeira”ou quiser mesmo conhecer a parte interessante da praia Italiana, pode acessar a parte pública da praia que além de não precisar pagar nada é super democrática.

No Rio a maioria das praias possuem areia branquinha. Já em Ostia (assim como em outras praias da Itália) a areia é bem escura mas é fininha e não deixa nada a desejar. O mar é super calmo, quentinho e muita gente joga frescoball ou anda de jet sky ou simplesmente aproveita para se bronzear na beira da água.

Se a fome apertar certamente você não vai ver vendedor de biscoito Globo, picolé, mate Leão nem nada do gênero nas areias, mas basta ir até o restaurante bem no cantinho da praia e pedir um lanchinho ou comprar nas máquinas disponíveis gastando apenas moedinhas. Quer ir na água tomar banho? Não se preocupe, os italianos são super amigáveis e todas as vezes que pedimos pra darem uma olhadinha nos nossos pertences para mergulhar foram super solícitos.

A Orla do Rio é super movimentada já a de Ostia é super tranquila só mesmo com os acessos aos clubes, restaurantes, casas de veraneio, pontos de ônibus e pouquíssimo comércio.

Entre a praia de Ostia e as do Rio ficamos com as duas cada uma com seu charme!

Como chegar:

Estando no Centro de Roma pegamos o metro da linha B(azul), na estação Termine (direção Laurentina)até a estação Pirâmide. Descemos nessa estação e pegamos o trem que vai pra Ostia. Descemos na ultima estação que é a mais próxima da praia “livre”. Na saída do metro pegamos um ônibus que nos deixou na frente da praia. Para fazer esse trajeto pagamos apenas o bilhete de trem utilizado dentro de Roma, que custa apenas 1 euro.

Publicado em Roma | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Onde se hospedar em Roma

Continuando nossa viagem de trem pela Europa que incluiu Espanha, Alemanha, França e Itália, não poderíamos deixar de visitar Roma um dos berços da civilização.

Porém, como sempre, nossa prioridade é ficar perto dos principais pontos turísticos e em lugares de fácil locomoção, optamos por ficar na Via de Cavour, a rua mais importante de Roma, pois, é através dela que você chega ao coliseu e demais obras arqueitetônicas de grande importância.

Escolhemos o Hotel Valle (que tem site em português) porque além de estar na Via de Cavour, também fica a uns 300 metros da Estação Central de trens Termini. Como iríamos justamente chegar de trem à Roma e queríamos nos locomover de metrô, que fica a 100m do hotel, foi o casamento perfeito!

Créditos: Divulgação Hotel Valle

Esse hotel faz parte de uma rede de hotéis Luxury Hotels & Suítes espalhados por Roma e com classificação de estrelas variadas mas todos muito próximos às principais atrações da Cidade. Nesse caso, o Hotel Valle é um 3 estrelas. Como as nossas fotos ficaram escuras dentro do hotel, utilizamos as fotos de divulgação do site do hotel para ilustrar o post.

Os quartos fazem juz á um três estrelas e o que reservamos tinha cama de casal, frigobar, televisão e ar condicionado.

Créditos: Divulgação Hotel Valle

O banheiro com banheira e amenities. Tivemos problemas com o chuveiro e rapidamente fomos reacomodados em outro quarto.

Créditos: Divulgação Hotel Valle

O café da manhã faz parte da diária e é servido com café, chá, leite, sucos, cereais, pães, bolo, geléia, ovos e manteiga. Suficiente para começar o dia.

Créditos: Divulgação hotel Valle

A diária para um casal em alta temporada no quarto duplo standart sai em média €168.00 (euros) ou R$460,00 (reais). Quando for se hospedar em Roma, fique esperto: evite ficar em ruas pouco movimentadas e procure hotéis ou hostels próximo às principais atrações de modo que seja fácil chegar até elas a pé ou num curto trajeto de metrô, afinal, esses espaços turísticos exigem longas caminhadas e nada melhor do que chegar rápido ao hotel no final do dia.

Publicado em Roma | Deixar um comentário

Retrospectiva 2012

Todo final de ano procuramos fazer uma retrospectiva sobre o que vivemos e passamos naquele ano e aproveitamos para planejar o que esperamos do próximo ano.

Esse ano não poderia ser diferente, até porque foi um ano bem agitado. Então vamos ao que importa:

JANEIRO:

Aniversário do padroeiro da Cidade do Rio de Janeiro, selecionamos alguns passeios pela Cidade para homenageá-la.

FEVEREIRO:

Tentamos passar o Carnaval em Vila Velha no Espírito Santo, mas, graças ao trânsito do Rio de Janeiro em véspera de feriadão ficamos presos no trânsito (literalmente parados) por mais de 4 horas e resolvemos mudar os planos. Voltamos pra casa e no dia seguinte fomos para a Região dos Lagos. Visitamos Arraial do Cabo (linda, linda, mil vezes linda) e Praia Seca.

MARÇO:

Fomos para Petrópolis e visitamos o Museu Imperial, a Casa de Santos Dumon, Palácio de Cristal e a Catedral.

ABRIL:

Recebemos em casa nossos parentes de Fortaleza e viramos também turistas no Rio de Janeiro. Aproveitamos para fazer aqueles passeios que quem visita o Rio AMA! Pão de Açúcar, Corcovado, Praias, Jardim Botânico e tudo que tem direito.

MAIO:

Saímos de férias e aproveitamos para fazer uma super viagem! Começamos por Nova York

Seguimos para um giro no Canadá. Iniciamos por Québec…

Depois fomos para Montréal…

Ottawa…

Depois fomos para Toronto…

E para finalizar o Canadá visitamos Niagara Falls

Mas, ainda tínhamos a Califórnia pela frente! Começamos por San Francisco

JUNHO:

Como ainda estávamos na Califórnia aproveitamos para conhecer Sausalito, uma cidade gracinha do outro lado da Golden Gate Bridge.



JULHO:

Fomos para Petrópolis, Cidade Imperial na Serra do Rio de Janeiro aproveitar a Festa do Colono Alemão com muitas comidas típicas, danças e decoração Germânica.

AGOSTO:

Passamos um final de semana em Saquarema. Visitamos a praia de Itaúna, a Igreja Matriz de N. Srª de Nazareh e todos os demais pontos turísticos.

SETEMBRO:

Fomos para Teresópolis, cidade serrana do estado do Rio de Janeiro, curtir a Chocoserra – o festival de chocolate.

OUTUBRO:

Saimos “oficialmente” de férias novamente e resolvemos aproveitar ao máximo o tempo que nos é de direito. Começamos por Nova York, escapamos do furacão Sandy e aproveitamos o pré-inverno do hemisfério Norte para patinar no Central Park e curtir a Broadway novamente.

NOVEMBRO:

Continuando nossa viagem de férias, seguimos para Orlando e esse ano optamos por visitar somente os parques da Disney pois, queríamos tempo livre também para as compras nos Outlets.

Enfim, fomos para Buenos Aires conhecer o tango portenho e as delícias de doce de leite.

DEZEMBRO:

Não viajamos nesse mês, mas aproveitamos para enfeitar nossa casa para o Natal e colocar todos os enfeites que trouxemos das nossas viagens na nossa árvore. Além disso, estamos curtindo bastante nosso maior presente esse ano, que é nossa filha, a futura pequena Jovem Viajante, que chegará no ano que vem!

E viva 2013!!!Seja muito bem vindo Ano Novo cheio de esperanças, novas realizações e muitos passeios. E aguardem: ano que vem muitos posts contando sobre as viagens que ainda não falamos!

Feliz Ano Novo para todos os nossos leitores!!!

Publicado em Sobre o blog | Com a tag , , , | 4 comentários

Café da manhã de Bistrô no Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro tem ótimas opções para café da manhã, dentre as mais famosas estão a do Forte de Copacabana onde é possível provar as delícias da Confeitaria Colombo (a mais antiga da Cidade) e também em vários hotéis, padarias e confeitarias espalhadas pela Cidade. Essa semana experimentamos o café da manhã do Sebastiana Bistrô que fica em Botafogo, zona sul do Rio.

O interior do Bistrô tem uma variedade de estilos de decoração, meio rústico, meio antiguinho…

O local estava vazio e eles servem café da manhã das Pedimos o Sebastiana Café que custa R$35,00 por pessoa(sem os 10%).

O menu para cada pessoa inclui: suco de laranja, mini pão francês, pão sacadura, 1 fatia de bolo caseiro, 1/2 mamão papaya, 1 fatia de peito de perú, presunto, queijo minas e queijo prato, ramequim de iogurte com granola, potinhos de manteiga, geléia, mel e requeijão. Quem quiser pode pedir à parte ovos mexidos, torradas, mais fatias de bolo etc

Estava saboroso mas, a casa deixou à desejar no quesito conforto. Estava muito calor nesse dia e não há ventilador no local, somente ar condicionado que não estava ligado (nem foi ligado quando chegamos) e tivemos que ficar em uma mesa ao lado da janela na esperança de que entrasse uma brisa para refrescar.

A casa também serve almoço para quem estiver interessado.

Mais informações no SITE do Sebastiana Bistrô.

Publicado em Rio de Janeiro | Com a tag , , | Deixar um comentário

Onde se hospedar em Nova York – 2 hotéis testados e aprovados

Nova York é tão complexa em termos de hospedagem que é preciso ter muito cuidado com relação ao local escolhido e com o tipo de hotel também. A frase quem vê cara não vê coração, muitas vezes pode ser uma armadilha. Tudo depende do própósito da sua viagem e principalmente de quanto você está disposto a pagar. A maioria dos turistas está de olho em uma hospedagem localizada próximo à Broadway ou de fácil acesso e que fique bem próximo à agitação da Big Apple.

Ano passado nos hospedamos no Hotel Thirty Thirty localizado na mais ao sul de Manhatan um 4 estrelas bem localizado.

Durante nossa hospedagem o hotel estava passando por uma reforma (visível pela poeira dos corredores de alguns andares) e esse ano deixou de se chamar Thirty Thirty para se chamar King and Grove New York. Esse hotel fica a 800 m da Estação Penn Station, então se seu interesse é ter facilidade de locomoção ao aeroporto a localização é perfeita, pois, é muito fácil chegar aqui. O King and Grove New York tem arquitetura Européia e um enorme Hall que em geral vira ponto de encontro de hóspedes e locais (até o ano passado pelo menos, o hotel era mixto, isto é, residencial e hospedagem).

Os quartos não são enormes mas sevem para o propósito ao qual se destinam: acolher hóspedes que vão andar o dia todo por NY e voltar cansados! Tem TV a cabo e base para iPod. Possui também uma pequena escrivaninha mas não tem frigobar (isso é comum na maioria dos hotéis de NY). Fizemos um vídeo para o Canal Jovens Viajantes mostrando o nosso quarto.

Além disso, o hotel tem uma lojinha que vende souvenirs Nova Yorkinos e uma cafeteria, o Zana Café (que serve o café da manhã cobrado à parte = optamos por não tomar café da manhã no hotel pelo preço de U$15,00 por pessoa). A cafeteria serve também comida e possui um bar com terraço ao ar livre.

A redondeza do hotel é bastante tranquila e andando poucos quarteirões você chega à um delicioso complexo de compras que inclui: Macy’s, Payless, Victoria’s Secret, Forever XVI, Zara, H&M dentre outras, ótimas para fazer compras caras ou baratas de acordo com o gosto e o bolso do freguês. Além disso fica a 5 quadras do empire States, isto é, dá pra ir andando. A dirária para um casal custam em torno de R$770,00 para maio pelo Booking.A desvantagem é ter que pegar metrô ou táxi para ir e voltar da Broadway e Central Park.

No mês passado voltamos à Nova York, mas, dessa vez optamos por um hotel muito próximo à Broadway, pois não estávamos dispostos à ficar pegando metrô todas as vezes que precisássemos ir à Broadway e afins, isto é, sempre! Os hotéis nessa região são muitíssimos mais disputados e mais caros em relação aos demais, por isso a reserva deve ser feita com bastante antecedência. Ficamos no The Milford NYC- Times Square um três estrelas que fica na 8th Avenida. Não poderíamos ter escolhido melhor localização.

O hotel fica a 2 quarteirões da Times Square e de uma estação de metrô. Todos os 1.300 quartos foram recentemente renovados e tem um clima meio Broadway com painéis estilizados nas paredes dos quartos e corredores. Escolhemos um quarto triplo mas que acomodaria até 4 pessoas com 2 camas de casal. Como já sabíamos, o quarto não tem frigobar, mas tem televisão à cabo, escrivaninha e aquecedor /ar condicionado.

O banheiro é pequeno mas nos serviu perfeitamente com banheira e amenities. O hotel não serve café da manhã, mas tem tantas cafeterias ao redor que você nem vai sentir falta.

Saindo a pé do hotel e caminhando 2 minutinhos a pé você está na Broadway ao lado de todos os teatros. Fora a enorme quantidade de restaurantes, lojas e muita movimentação de manhã, de tarde e a noite.

Como estávamos atrasados e por pura comodidade, pegamos um táxi para ir ao teatro na 55th e custou U$6,00. Para ir ao Central Park també fomos a pé, são alguns quarteirões mas nada que caminhar por NY não compense. O check-in foi super rápido e ainda conseguimos estender o ckeck-ou por 2 horas, simpatia concedida por uma funcionária da recepção que fala português e já morou no Brasil.
O endereço do hotel é: 700 8th Avenue, Avenida Times Square, Nova Iorque. A diária para um casal em maio está em torno de R$700,00 através do Booking.
Valeu muito mais à pena esse hotel apesar de ser um três estrelas pelo preço de quatro mas a localização é imbatível.

Publicado em Estados Unidos, Nova York | Com a tag , , , , | 7 comentários

Disney Very Merry Christmas – O Natal encantado do Mickey

Como já é de conhecimento público, fizemos uma pausa na programação diária e tiramos férias. Fomos novamente à Disney (e a outros lugares também) só que dessa vez com um “bônus”: decidimos que queríamos ir ao Disney Very Merry Christmas que é o evento anual da Disney em comemoração ao Natal.

Compramos os ingressos pela internet aqui no Brasil mesmo e foi super fácil. E ainda bem que fizemos dessa maneira, pois, ao chegar no evento havia uma placa dizendo em letras garrafais: Ingressos esgotados!

Para ir ao evento, o procedimento é o mesmo da visita tradicional ao parque. Pegar o trenzinho que parte do estacionamento e leva até a porta do parque. Procure chegar com antecedência, afinal, como o evento é à noite, centenas de carros já estarão no estacionamento devido ao público remanescente do dia e do que chega para a noite. Estacionamos já no final por causa das poucas vagas disponíveis. Além disso, o trajeto até a entrada propriamente dita do parque leva uns 20 minutos(estacionamento+caminhar até o trem+esperar e pegar o trem+entrada no parque).

Logo após passar da roleta e apresentar o cupom do evento, cada visitane ganha uma pulseirinha que garante sua permanência no parque. Antes do desfile, um batalhão de funcionários passam por todos os visitantes pedindo que mostrem a pulseira no pulso, caso não a tenham é necessário sair, afinal, é um evento especial e pago à parte do ingresso tradicional do parque. Nem adianta bancar o espertinho e tentar se esconder dos funcionários, pois, vimos uma mulher brasileira com 2 crianças que tentavam se esconder dos “seguranças” e mesmo assim foram descobertos e “convidados a se retirar”. É feio e chato.

Logo na entrada do parque um Quebra Nozes nos “recepcionou” dando as boas vindas aos visitantes da noite mágica.

O parque todo enfeitado com decoração natalina, espalhava pela Main Street (a rua principal do parque) o “espírito natalino”.

As cores das luzes que iluminavam as casinhas da Main Street iam variando a cada minuto.

Bem antes do desfile começar (tipo uma hora antes) as pessoas já se alocavam pelas calçadas da Main Street para garantir uma boa posição com a melhor visão possível.

Veja no vídeo a seguir como ficou a Mains Street decorada.

Uma surpresa arrancou suspiros do público: neve (artificial, claro!) começou a cair para completar o clima Natalino e assim permaneceu durante todo o desfile.

Antes do início do desfile propriamente dito, animadores da Disney passavam cantando e incentivando o público, além é claro, dos “seguranças” que fiscalizavam tudo como gravamos no vídeo a seguir.

O desfile começou com um pequeno atraso, mas nada que atrapalhasse o glamour Disney de ser. Os convidados foram saudados por personagens queridos do público como Peter Pan e Alice (do País das Maravilhas).

Logo em seguida vieram os anfitriões do parque: Mickey e Minie com modelito de Natal.

Com direito à beijinho….

Depois veio o Tio Patinhas…

e o casal Pato Donald e Margarida enroladinhos no cobertor para se proteger do “frio” da “neve” da Main Street.

Um grupo de “esquiadores” realizou manobras acompanhando o Tico e o Teco em uma alegoria “gelada”.

Os 7 Anões cantavam alegremente brincando com as crianças no caminho do desfile.

E Branca de Neve e seu prícipe

Cinderela e o príncipe vieram em uma lindíssima carruagem puxada por cavalos brancos de verdade.

A bela e a Fera vieram em um carro que imitava o castelo onde se passa parte da estória.

Pateta montado em uma bicicleta veio cercado de doces em um carro imitando uma fábrica de guloseimas.

As dançarinas e os biscoitos de gengibre deram um show à parte com suas coreografias perfeitas.

Até um mini carrinho de corrida passeava pela Main Street no intervalo entre um personagem e outro.

Na hora da passagem dos personagens do Toy Story adultos e crianças ficaram alvoroçados

Mas o ponto alto do desfile ficou por conta dos quebra nozes que desfilaram em perfeita harmonia com direito à som de seus pés em ritmo constante.

Ao final do desfile, Papai Noel e suas renas se despediram do público desejando um Feliz Natal.

Logo após o último carro, o espaço da Main Street foi aberto ao público e uma multidão acompanhou a finalização do desfile.

Filmamos para o Canal Jovens Viajantes o desfile todo e vocês podem conferir no vídeo a seguir.

Como o evento contava com várias atrações, tratamos de nos organizar de acordo com os horários que constavam no folder.

Ficamos atentos à tudo que estava aberto e aos horários dos shows.

Corremos para garantir nosso lugar na fantástica queima de fogos em frente ao Castelo da Cinderela.

O castelo ia mudando de cor e os fogos ficavam cada vez mais bonitos e iluminavam o céu de todo o parque.

Entre uma atração e outra, alguns restaurantes e lanchonetes ao longo do parque distribuíam chocolate quente e biscoito de gengibre ao público. Nem todos os restaurantes funcionaram durante o evento e resolvemos lanchar na confeitaria Main Street Bakery.

Logo depois, assistimos ao Show com os personagens da Disney também no Castelo da Cinderela.

O show tinha como tema o poder de acreditar nos seus sonhos e que só assim eles poderiam ser realizados.

Os personagens iam entrando aos poucos no palco embrulhados em embalagens de presente.

Aos poucos, os principais personagens conhecidos do público iam entrando e como um musical iam mesclando música e encenação.

O evento Disney Very Merry Christmas está acontecendo desde o início de Novembro e demos a sorte de conseguir assistir ao 1º. Mas quem está em orlando ou vai para a Disney ainda esse ano ainda tem chance de assisitr nos dias 2, 4, 6, 9, 11, 13, 16 e 18 de Dezembro.

Publicado em Orlando | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Pausa para as férias

Estamos sumidos porque estamos de férias. Sim! Esse merecido momento chegou e estamos fazendo praticamente um tour por 2 continentes. Em breve teremos muitos novos posts falando sobre as viagens e dando muitas dicas, mas por hora vamos atualizar nosso percurso.

Começamos visitando os Estados Unidos por Nova York logo após a passagem do furacão Sandy. Por sorte não fomos prejudicados em NADA e nem sequer vimos rastro do furacão a não ser o guindaste que estava pendurado próximo à Broadway como noticiaram todos os telejornais.

Depois fomos para Orlando conhecer o Natal do Mickey e sua turma e realmente esse ano eles capricharam. Temos muitas novidades. Diferentes dos outros anos, esse ano optamos por ver o Disney Verry Merry Christmas e o espetáculo valeu à pena.

E agora, nesse momento, estamos “Ao Vivo”em Buenos Aires conhecendo a capital Portenha e adquirindo bastante dicas para passar aos nossos leitores. Por exemplo: Vocês sabiam que nossa moeda, o Real, não está mais tão valorizada por aqui e que uma garrafa d’água sai para nós pelo equivalente à R$9,00?

Curta nossa página no Facebook e acompanhe de perto nossas viagens.

Publicado em Sobre o blog | Com a tag , , , , , , , , | Deixar um comentário

Viajando de Trem na Europa – guia completo

Você já pensou em viajar com o conforto da primeira classe do avião, ser servido como rei e ainda por cima sem ser incomodado por nenhum outro passageiro? Pois bem, esse sonho é possível. Em nossas viagens sempre ponderamos o custo benefício de tudo que escolhemos. E, não poderia ser diferente com o meio de transporte. Por exemplo, quando decidimos que iríamos de Paris para Berlin de trem pensamos na seguinte situação: iríamos partir de Paris à noite, se fossemos de avião pagaríamos 150 Euros por pessoa, chegaríamos tarde quase de madrugada à Berlin, iríamos direto apra o hotel, pagaríamos uma diária de quase 100 Euros apenas para dormir e sem direito à café da manhã. No entanto se fossemos de trem, pegaríamos o trem à noite, em cabine dupla (super privativa) com banheiro, café da manhã no quarto, passaríamos a noite toda viajando, dormindo e chegaríamos pela manhã descansados ao nosso destino. Além disso, o custo sairia o mesmo praticamente que pagar uma diária no hotel apenas para dormir e ainda por cima economizando o valor da passagem aérea. Fizemos e refizemos esse mesmo cálculo para todas as cidades as quais queríamos visitar e no fim das contas, descobrimos que sairia muito mais em conta e menos cansativo, então decidimos comprar um passe de trem que nos daria direito à viagens passando por 5 países e inúmeras cidades e de 1ª classe!



Como comprar os passes de trem?

Existem 3 métodos de comprar os passes:

Por agência de turismo - foi o que escolhemos por ser nos garantir a reserva de lugares (quando permitido) desde o Brasil. A facilidade é tão grande que basta informar quais são os trechos e horários desejados e eles incluem os países necessários e te entregam um voucher que deve ser trocado no guichê da primeira Cidade de partida. Compramos o nosso pela agência CI (Central do intercâmbio)

Pelo site – Achamos confuso mas é possível fazê-lo. Os sites da Eurail e da Raileurope vendem os passes. Você deve selecionar os países que deseja e verificar o tipo de passe que vai escolher: 1ª ou 2ª classe. Porém, o risco é de não comprar corretamente, por exemplo, como fomos da Alemanha para a Itália de trem tivemos que incluir mais um país, a Áustria, apesar de não ter parado lá, apenas porque esse país está no meio dos outros 2 países e na rota do trem. Se não tivéssemos comprado por agência nem pensaríamos em incluir esse país no passe e não conseguirírmos embarcar. Então verifique várias vezes se no caminho entre um país e outro não existe um 3º país no meio e inclua no seu passe(ainda que aumente o valor).

No guichê dos trens na Europa- é viável comprar na hora seu bilhete no país que estiver, porém, não é possível garantir que irão existir bons lugares e horários desejados nem reservar trens leitos noturnos na hora, somente na 2ª classe.

Como funcionam os passes de trem na Europa?

Tanto faz se você comprar em agência como pela internet, você vai receber um voucher para trocar na primeira cidade de partida do trem por uma espécie de “carnê” com espaços em branco para que você mesmo marque os dias que utilizar o seu bilhete.

Então se você comprar como nós fizemos um passe de 5 países e 8 dias de viagem a cada dia que utilizar seu bilhete deverá marcar um dos espaços em branco com a data do dia que está viajando. Se for passar e parar em várias cidades no mesmo dia somente precisa marcar um espaço.

Em alguns casos, como das viagens noturnas em cabine dupla privativa na primeira classe, é necessário reservar seu lugar com antecedência. As agências de turismo cobram em média 20 Euros por pessoa e por trecho para realizar essa marcação de assentos e em torno de 100 Euros para marcação de cabine dupla. Então se você decidir que irá da Alemanha para a Itália deverá reservar com antecedência. Caso vá de 2ª classe nem sempre é necessário reservar. Além disso, em trechos curtos como Roma – Florença por exemplo, a reserva de assentos é feita na hora no guichê da estação. E por fim, existem casos que não há reserva de modo algum, como é o caso de Nápoles para Pompéia que é um trecho local de 30 minutos que você apenas precisa comprar o bilhete separado (caso não queira “gastar” um dia de passe) e embarcar procurando assentos livres.

Você terá direito à viagens ilimitadas dentro do mesmo dia no mesmo país que estiver. Por exemplo: Um dos dias que utilizamos o passe foi para ir de Florença à Nápoles, porém, caso quiséssemos e tivéssemos disposição, poderíamos naquele mesmo dia utilizar o bilhete para ir à qualquer outro lugar da Itália. Isso ocorre nos dias que você marcar a data no seu bilhete. Por exemplo: se marcar a data no bilhete dia 08/12/2012 nesse dia poderá pegar quantos trens quiser dentro do mesmo país nesse mesmo dia. Caso a viagem seja iniciada nesse dia 08 e termine no dia 09/12/2012 e nesse dia 09 deseje pegar outro trem deverá marcar esse outro dia no bilhete. Não dê bobeira e nem tente bancar o espertinho viajando sem amrcar porque os ficais conferem bilhete por bilhete e marcam cada um. Se estiver errado a multa é muito salgada e pode até ser tirado do trem.

Como é a primeira classe dos trens?

Existem dois tipos de acomodações na 1ª classe dos trens Europeus: a primeira são as cabines que podem ser indivivuais, duplas ou quádruplas. As duplas e quádruplas possuem beliches fixados à parede do trem onde dá para dormir em segurança mesmo com o trem balançando pois tem proteção lateral. Além disso, tem um pequeno banheiro com sanitário, pia e box já equipado com toalha e sabonete líquido.

Logo de manhã, antes da chegada ao seu destino, o comissário do trem vem trazer o café da manhã, muito bem servido por sinal, na sua cabine. Em geral servem suco de frutas, café, chá, leite, pão, biscoitos, frios, geléia…nada deixa a dever para o café de hotel.

Filmamos para o Canal Jovens Viajantes a cabine da 1ª classe.

O outro tipo de acomodação na 1ª classe, inclusive para viagens mais curtas, são vagões com poltronas espaçosas e mesinhas. Durante a viagem a comissária do trem serve água e oferece jornais do dia. As janelas são maiores e o serviço muito bom. Caso opte por comprar algo para comer (eles distribuem cardápio) pode consumir sem sair do seu lugar, assim como nas atuais companhias aéreas. As refeições podem ser compradas com antecedência ou na hora.

Como é a segunda classe dos trens?

A segunda classe dos Trens na Europa é como se fosse a classe econômica das principais companhias aéreas. Poltronas lado a lado enfileiradas, sem mesinha e com banheiro no final do vagão.

Em alguns países como na Espanha, por exemplo, tem um pouco mais de conforto, maior reclinação das poltronas etc. Já na Itália os trens operados pela Trenitalia são em geral menos confortáveis. Se não forem os trens rápidos, isto é, os que ligam uma Cidade à outra em pequenos percursos, chegam a ser sujos.

Além desse vagões existe também o vagão destinado à portadores de necessidades especiais que acabamos utilizando por estarmos com muitas malas e fomos autorizados pelo fiscal.


Como são as estações de trens?

São limpas, enormes e confortáveis em sua maioria. Possuem ligações com o metrô, em geral tem terminais de ônibus integrados ou muito próximos.

Em especial na Alemanha onde o sistema de trens da DB (operadora de trens Alemã) é impecável. Eles são super pontuais e as plataformas com várias indicações para que ninguém perca o trem por falta de informação.

Algumas estações possuem vários andares e dezenas de plataformas de embarque divididas por nacionais e internacionais assim como nos aeroportos.

Em cidades pequenas como em Rothemburg as estações são mínimas com apenas 2 plataformas mas com a mesmíssima organização. Nas grande e médias estações tem lojinhas, restaurantes, vendem souvenirs, tem salão de cabeleireiro e em muitas até supermercados. Ótimo para passar o tempo esperando o horário de embarque.


Terei o que comer no trem?

Sim, claro! Se você não estiver na primeira classe, onde em geral, nas viagens mais longas as refeições estão inclusas no valor, você pode comer no restaurante do trem. Na maioria dos trens de alta velocidade (AVA) tem sempre um vagão restaurante.

Mas prepare o bolso: os preços não são como nos restaurantes comuns e chegam a custar o mesmo valor das refeições de companhias aéreas. Mas ainda assim, é possível comprar uma pequena tábua de queijos com uma tacinha de vinho ou salgadinhos petiscos e refrigerante sem problemas. Passar fome você não vai!

Fora isso que sentar-se às mesinhas do vagão restaurante e apreciar a vista comendo e bebendo seja lá o que for já é um privilégio e tanto.

E quando eu chegar ao meu destino? Onde ficam as estações de trens?

As estações de trem ficam em geral no centro das Cidades e os aeroportos muito mais longe, obrigadando quem está com malas à pegar um táxi e ter um custo a mais. Ao se aproximar do seu destino a voz eletrônica do trem ou o maquinista irá avisar com tempo suficiente para você se movimentar até a porta, pegar suas malas e descer.

Quanto custam os trens pela Europa?

Depende. Fizemos muitas continhas antes de nos decidirmos pelo passe e vimo que as passagens individuais custariam muito mais. Por exemplo, trechos entre cidades próximas podem variar entre 18 e 200 euros, dependendo da antecedência da compra, da classe escolhida e até mesmo do país, pois em alguns incidem mais taxas que outros.

O valor por pessoa do “Eurail Select Pass” de cinco países para 08 dias de viagem é EUR424,00 + taxa de emissão. O passe para adulto vendido desde o Brasil é oferecido apenas para 1ª classe.

Passageiros com passe de segunda classe não podem embarcar em cabine dupla noturna, pois essa cabine é exclusiva para 1ª classe.

Em alguns casos os passes dão direito à trens, barcos e ônibus para completar seu trajeto. Em lugares como a Suíça dependendo da Cidade pela qual for passar, é possível ir ao vagão panorâmico do trem que é feito com janelas enormes para dar visão ampla da paisagem maravilhosa dos Alpes.

Publicado em Vai de quê? | Com a tag , , , , , , | 4 comentários

Castelo de Neuschwanstein – a obra faraônica do Rei Ludwig

Uma das nossas resoluções ao visitar a Alemanha era conhecer o famosíssimo Castelo de Neuschwanstein. Como nosso roteiro incluía Munique ao Sul da Alemanha, decidimos que faríamos esse passeio a partir de lá. E tudo que achamos que seria complicado, afinal sempre viajamos sem agência e nem pacote e nem nada que engesse nosso roteiro, não tínhamos muita idéia de como chegar lá. Tínhamos apenas uma ou outra informação que pegávamos na internet mas tudo muito vago e muito solto e nada totalmente esclarecedor. Pois bem, arriscamos a sorte e deu certo! Assim que chegamos à Munique fomos à estação de trens nos informar e compramos um passe chamado Füssen – Neuschwanstein que exatamente te leva até seu destino. Compramos os bilhetes de ida e volta e com antecedência embarcamos no trem para a Cidadezinha de Füssen.

A paisagem que víamos ao longo do caminho do trem era de babar! Parecia aqueles filmes com campos bem verdinhos, vaquinhas saídas da emabalgem do chocolate Milka, coisas do gênero.

Ficamos tão encantados com a paisagem cênica que filmamos para guardar de recordação.

Cerca de 2 horas depois chegamos à Füssen. A estação de trem é bem pequena e fica no início da Cidade.

Só para explicare melhor, o Castelo fica um pouco distante de Füssen, então, assim que descer na estação de trem é preciso pegar um ônibus que te levará até a “base” do Castelo. Os ônibus ficam bem em frente à estação e são os RVA/OVG 73 sentido Steingaden / Garmisch-Partenkirchen ou o ônibus RVA/OVG 78 sentido Schwangau. Você deve descer na parada Hohenschwangau / Alpseestraße.

Esse lugar é como se fosse um ponto de partida, com lojinhas, lanchonetes e onde você deve comprar seu ingresso para visitar o Castelo. Nesse mesmo lugar vendem souvenirs, sorvetes, pilhas e tudo que você pode ter esquecido de levar.

A partir desse ponto existem 3 modos de subir até o Castelo: a pé que demora mais ou menos uma hora pela trilha, de Charrete que leva uns 20 minutos ou de ônibus que leva menos de 10 minutos e te deixa próximo ao Castelo e você deve subir um pouquinho a pé.

Na mesma base é possível compra ingressos para visitar o Castelo Hohenschwangau também construído pelo Ludwig e para o Museu dos Reis da Bavária.

Preferimos o ônibus pois queríamos parar um pouco antes do Castelo na ponte de onde é possível ter uma visão panorâmica do Neuschwanstein bem como de uma partícula da Suíça e seu lago cor de esmeralda!

É dessa ponte que vertamente você vai tirar as melhores fotos do passeio.

A vista é de tirar o fôlego, tanto que depois você nem se importa de subir mais uns metros até o Castelo pela trilha totalmente arborizada e fresca.

Quando você chega ao Castelo você tem a opção de visitá-lo apenas por fora (não sendo necessário pagar ingresso) ou entrar e visitar seu interior (comprando ingresso na base do Castelo).

Para o Rei Ludwig II, o castelo de Neuschwanstein era principalmente um refúgio. Rei da Baviera desde 1864, ele detestava sua residência oficial, a cidade de Munique , uma vez que apenas dois anos mais tarde foi subjugado pela Prússia. Além disso, ele preferia se dedicar às artes. Como não podia mais ser o soberano do seu verdadeiro reino, ele criou o seu próprio mundo encantado.

É proibido fotografar no interior do Castelo, mas nós contamos aqui como é. Entre os cômodos mais famosos, há dois salões. O Salão dos Cantores apesar de que nunca ninguém cantou lá, nem nada foi festejado. A sala do trono, com dois andares e quinze metros de altura, trem uma ornamentação ofuscante em azul e ouro.

Mas o interesse maior de Ludwig II era o “Salão do Santo Gral”, que combinava sua paixão pela Idade Média com a técnica mais moderna da época. Mesmo com relação à comida, o rei insistia em suas referências à Idade Média. Seus aposentos tinham inspiração no gótico e há detalhes fazendo referência a óperas de Wagner, como a pia com uma torneira em forma de cisne, uma homenagem à ópera “Lohengrin”.

Lembre-se que para manter toda essa suntuosidade funcionando e aberta à visitações, tudo no local é cobrado, até mesmo para ir ao banheiro é necessário comprar um bilhete e passar na roleta.

Para ter idéia da grandiosidade e da compexidade dessa obra espetacular mostramos em vídeo um pedacinho.

O preço das coisas (salgadas mas vale à pena por tudo):

Passe de trem: Em média 50 Euros por pessoa
Ingresso para entrar no Castelo: € 12.00 por pessoa
Ônibus que leva até o Castelo: € 2.60 ida e volta por pessoa
Charrete que leva até o Castelo: € 6 para sibir e € 3 para descer

Publicado em Füssen | Deixar um comentário

Roteiro de 1 dia em Heidelberg

Quando fizemos nosso roteiro da Alemanha, sabíamos que uma das cidades que queríamos visitar da Rota Romântica era justamente Heidelberg por sua importância Histórica. Então pesquisando em sites e blogs vimos que apenas 1 dia seria o suficiente para conhecer as atrações turísticas da Cidade, já que não são numerosas.

Escolhemos então nos hospedar no IBIS Heidelberg que fica bem no centro da Cidade e ao lado da Estação de Trem. Bem em frente fica um enorme terminal com transporte interligando toda Cidade.

Nesse terminal pegamos um “bonde” e fomos direto para o Castelo de Heidelberg que é a maior atração turística da Cidade com construções seculares e diversos estilos que influenciaram sua estética.

No meio da Cidade fica a Kornmarket o centro da Cidade Velha. É nesse espaço que fica a Madonna, atração mais famosa do antigo mercado de grãos de Heidelberg, tudo muito lindo, paisagem de Cinema! Enquanto estávamos na Cidade estava acontecendo uma feirinha de artesanato com produtos típicos locais.

Bem próximo fica a Karlplatz uma praça aos pés do Castelo de Heidelberg. Ali fica uma série de restaurantes muito gostosos bem como casas de chá e cafés ótimos para passar umas horinhas admirando a outra face do Castelo ou apenas vendo as pessoas caminharem.

Aproveite para se deliciar com os doces que as confeitarias da Cidade oferecem e guarde na memória o doce sabor de Heidelberg.

Visitamos a ponte “Alte Brücke” mais importante da Cidade e que já foi de madeira, possui 9 arcos, passou pela destruição da Segunda Guerra e foi reconstruída em 1 ano tornando-se atração.

Por fim visitamos o Brückentor que é o antigo portão da cidade. Fica junto a Alte Brücke. As torres deste portão foram construídas como parte da fortificação da cidade e guardavam a entrada norte da cidade. Estas torres foram construídas na mesma época da nova ponte de pedra, em 1786. O portão é do século 13.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publicado em Heidelberg | Com a tag , , , | Deixar um comentário