A escalada do Vulcão Vesúvio

No post anterior explicamos como chegar à base do vulcão. A escalada contando da bilheteria até o topo da cratera são aproximadamente mais 167 metros de altitude.O estacionamento na base custa 2,50 Euros e é o ponto mais perto da trilha que é possível chegar de carro. Então que tal sentir um pouquinho da emoção de escalar um vulcão?

A trilha que leva até a cratera é chamada de “Il Gran Cono”.

São 3.900 metros de subida com caminhada em zigue-zague e um trecho super íngreme mais comprido que circunda o vulcão. No início o corpo vai se adaptando ao ritmo de caminhada em pedras vulcânicas e escorregadias.

Porém, ao passo que vai chegando mais próximo à cratera, o nível de dificuldade fica proporcional. Além disso, pensávamos que por ser calor quando fomos, estaria muito quente “lá em cima’ ainda mais por ser um vulcão, ok? #sóquenão

O frio é desesperador e para nossa “sorte” havia uma barraquinha vendendo casaco para os desavisados como nós, mas para nosso azar só tinha 1 único casaco à venda que foi arrematado e dividido na hora do aperto do frio!

Outra coisa que nos deixou preocupados foi a neblina que de certo modo atrapalhou a vista da trilha e da cidade e ainda por cima contribuía para aumentar o frio!

Além disso, a altitude dificulta a respiração e causa a sensação de maior cansaço durante a escalada. Por várias vezes precisávamos parar, tomar fôlego, descansar e continuar a escalada.

A chegada à cratera é algo impagável e difícil traduzir em palavras, porque é simplesmente emocionante! Ver todo esse espetáculo da natureza e pensar que nem todos tem a oportunidade de chegar perto de um vulcão adormecido, mas ainda em atividade, é se sentir privilegiado.

A cratera tem 200 metros de profundidade e 600 metros de diâmetro. Portanto, nem pense em se arriscar para tirar uma foto no “melhor ângulo” ou para pegar uma pedrinha ou ainda “sentir o calorzinho”! Até porque, existem escritos que relatam que um brasileiro já caiu na cratera por estar muito perto e durante sua visita ocorreu um tremor de terras. O corpo dele nunca mais foi encontrado. Mas não se preocupe, as atividades sísmicas por lá são raras e não irão atrapalhar sua visita.

Ao olhar bem no meio da cratera é possível ver uma fumacinha que não para nenhum minuto indicando que o vulcão ainda está em atividade.

Junto à cratera parece cenário de filme de ficção com muitas pedras, neblina e uma sensação de estar em outro planeta.

Já no topo existe uma lanchonete “La Capannuccia” com mesinhas e cadeiras que vende bebidas e lanche e uma  lojinha de souvenir que vende bibelôs que dizem ser feitos com o magma ainda quente retirado do Vesúvio. Não sei bem se é verdade mas pelo sim pelo não, trouxemos um pequeno elefante de lava vulcânica.

A descida proporciona uma das vistas mais gratificantes da escalada, pois a neblina já havia se dissipado um pouco e foi possível avistar a Baía de Napoli. Escondida entre a montanha e o mar fica a Cidade de Ercolano, que também é um sítio arqueológico como Pompéia. Pompéia fica mais pra esquerda do Vesúvio.

 

Dicas super úteis:

1. Vá de tênis ou com o sapato mais confortável que você tiver. Afinal a caminhada é longa, o chão irregular e apesar da subida ser cruel, a descida é ainda pior e escorregamos várias vezes mesmo estando de tênis. Definitivamente, não é um passeio indicado para deficiente, idosos, gestantes, crianças de colo, ou seja portadores de necessidades especiais.
2. Leve óculos de sol e passe protetor solar, pois, apesar do frio os raios solares intensos ainda mais no verão, queimam mesmo a pele.
3. Mesmo se não for numa época fria(nós fomos no verão de julho) vá muito bem agasalhado com casaco grosso e meias potentes para aquecer os pés, touca para proteger os ouvidos do vento, etc. Caímos na besteira de acreditar que o calor que fazia em Nápoles ia continuar no Vulcão (vulcão+calor=não) e passamos muito frio. Sorte que alguns vendedores sabendo dos turistas desavisados ficam na base do vulcão e um pouco mais acima vendendo casacos de times da Itália por valores astronômicos, não teve jeito, foi o que salvou.
4. A loja que fica na beira da cratera vende água e souvenirs, mas até o topo não tem muita estrutura portanto, leve sua garrafinha de água.
5. O ideal é subir o vulcão de manhã pois a subida e descida são longas e cansativas e não é legal ao escurecer pois não dá para admirar a vista.
6. É possível combinar a escalada ao vulcão com a visita às ruínas de Pompéia, mas consideramos cansativo e fizemos cada coisa em um dia.
7. As vezes a neblina toma conta do local, mas não fique triste, muitas vezes em questão de minutos ela se dissipa e a vista fica livre novamente.

Curiosidade:

Por conta da água vulcânica e da terra “adubada” tudo que é plantado as pés do vulcão é maior e mais saboroso. Por exemplo: nessa região são produzidos os maiores tomates e mais vermelhos e os maiores limões sicilianos da Itália.

Ingressos:

Para escalar até a cratera é preciso pagar 10 euros por pessoa. Crianças até 8 anos não pagam.

Site:

O site do Park Arqueológico: http://www.vesuviopark.it/grancono/index.asp

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Esta entrada foi publicada em Itália, Pompéia, Vesúvio e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>